Brasil tropeça diante do Egito: 1 x 1

Não foi a estreia que a torcida esperava na Copa do Mundo Sub-20 da FIFA. Após 15 minutos de bom futebol no início, a Seleção Brasileira caiu de produção, levou pressão do Egito e acabou deixando o estádio Roberto Melandez, em Barranquilla, com um resultado até mesmo satisfatório: 1 a 1. O lateral direito Danilo marcou o gol brasileiro logo aos 12 minutos, mas depois falhou no lance que resultou no empate, com Gaber. Com o resultado, a primeira rodada do Grupo E terminou com todas as quatros equipes empatadas com um ponto, já que antes Áustria e Panamá haviam ficado no 0 a 0.

Primeiro tempo
Antes da a bola rolar, a festa. Como a partida marcava a abertura oficial do Mundial, o que se viu no estádio foi uma bela cerimônia, com direito a músicas locais, dança e queimas de fogos. Ingredientes perfeitos e que embalaram o início do duelo, com as duas equipes se revezando no ataque com perigo. Depois de segurar o ímpeto rival, a Seleção se soltou e passou a criar boas chances.Com um meio de campo forte, comandado por Philippe Coutinho, Oscar e Casemiro, o Brasil controlou a posse de bola, pressionou e acumulou escanteios. Em um deles, Willian José cabeceou para grande defesa de Elshenawi. Mais tarde, não teve jeito: a bola de Philippe Coutinho veio na cabeça de Danilo, que, sozinho na pequena área, só empurrou para o gol.O bom início deu impressão de que o Brasil deslancharia para uma vitória mais tranquila. Mas, de longe, não foi o que aconteceu. Bem em campo, o Egito passou a mostrar sua força com o trio Hamdy, Gaber e Salah infernizando a defesa. Aos 16 minutos, o primeiro quase empatou. Em seguida, em linda triangulação, Hamdy de novo recebeu sozinho dentro da área, mas Gabriel defendeu o chute com o pé.O avanço egípcio vinha de todos os lados. Pela direita, Gaber cabeceou com perigo. Pela esquerda, Ibrahimi limpou Juan e quase acertou o ângulo. De tanto tentar, veio o merecido empate. Aos 25, depois de jogada pela direita, Danilo furou feio na pequena área, e a bola sobrou para Gaber, sozinho, fuzilar. Assustado, o Brasil recuou e passou a errar mais, mesmo mantendo a posse de bola. Chegando com perigo, o Egito teve cobrança de falta quase na risca da área, mas Hamdy chutou na barreira. No último lance, Oscar recebeu pela direita e arriscou com perigo.

Segundo tempo
Insatisfeito com a produção ofensiva, Ney Franco voltou com Negueba em campo no lugar de Alan Patrick. Mas era mesmo a defesa que continuava dando sustos. Aos dois minutos, Salah, que continuava passeando pelo lado direito da zaga, cruzou e achou Hamdy sozinho. O meia teve tempo de ajeitar para Gaber, na marca do pênalti, desperdiçar enorme oportunidade para virar o placar.Aos cinco, o Brasil respondeu com Casemiro, em um belo chute de longa distância, mas parou por aí. Enquanto tentava conter o ataque egípcio, sempre com grandes jogadas de feito de Salah pelo lado esquerdo, saía com pouca qualidade ao ataque. As poucas chances do segundo tempo, então, vieram em bolas paradas. Em uma delas, Negueba pegou a sobra, arriscou e a bola desviou e quase matou Elshenawi. Outro momento marcante veio exatamente com o goleiro egípcio. Já no final do jogo, ele dividiu com Henrique, que entrara no lugar de Willian José, e levou a pior, precisando ser substituído. Henrique, aliás, ainda teve chance em seguida, mas parou no arqueiro reserva.Com o apito final, os abraços e sorrisos do lado egípcio e o semblante fechado do lado brasileiro refletiam o sentimento de ambas as equipes. O Brasil agora volta a campo no dia 1º para enfrentar a Áustria, enquanto o Egito encara o Panamá no mesmo dia.
Fonte: FIFA.com – Fotos: El Espectador

Deixe uma resposta