Santa Cruz está a dois passos do Paraíso(Série C)

Um torcedor do Santa caracterizado de “Cristo” no meio do “Inferno”(ou melhor da torcida Inferno Coral), no empate em Coruripe(AL) que garantiu a presença do time pernambucano nas semifinais da Série D

 Foi para quem tem coração forte. No sufoco, suado, tenso, sem espetaculo. Do jeito que o técnico Zè Teodoro previa. Na noite deste sábado (1º), mesmo sem jogar bem, o Santa Cruz conseguiu segurar o 0x0 com o Coruripe no Estádio Gerson Amaral e está nas quartas de final da Série D graças a vitória por 1×0 no jogo de ida, no Arruda. Ou melhor, o campeão pernambucano está a dois jogos de retornar à Série C. O adversário sai no confronto entre Santa Cruz-RN e Treze-PB, que se enfrentam neste domingo (2). No primeiro embate, vitória paraibana por 3×1 em Campina Grande.
Com a vantagem do empate para conseguir a classificação, o técnico Zé Teodoro entrou em campo com o regulamento embaixo do braço e mandou a campo uma equipe com três zagueiros. Walter, fez sua estreia com camisa coral, atuando ao lado de André Oliveira e Everton Sena. No meio de campo e no ataque, mais surpresas com a volta do volante Jeovânio na vaga de Chicão e Washington atuando ao lado de Weslley na criação. No ataque, o grandalhão Kyros herdou a vaga de Fernando Gaúcho.A proposta do Santa era clara. Se defender e partir no contra-ataque aproveitando as dimensões reduzidas do campo de jogo do Gerson Amaral. Tática que deu certo no Campeonato Pernambucano. Kyros era a aposta na jogada áerea. Porém, na prática, a opção de Zé Teodoro não funcionou.



O goleiro do clube coral Thiago Cardoso evita um gol do Coruripe

No primeiro tempo a zaga do Santa, com Walter visivelmente fora de ritmo, batia cabeça, e dava espaços (principalmente do lado esquerdo). Já o setor ofensivo não criou uma jogada sequer em velocidade. Washington e Weslley eram peças nulas, enquanto Kyros se mostrou perdido. Dessa forma, a maior parte da etapa foi de pressão do Coruripe.A equipe alagoana teve pelo menos três chances reais de abrir o placar. Aos 16, Édson Di, livre na área, “furou”. No lance seguinte, Paulinho Marília, também com liberdade, só não conseguiu levar com perigo porque não dominou a bola com precisão. Mas a a melhor oportunidade veio aos 42, quando Jeovãnio perdeu a bola no meio de campo para Édson Di que tocou para Paulinho Marília, frente a frente com Tiago Cardoso chutar para ótima defesa do paredão tricolor. O Hulk Praiano ainda teve um gol anulado com Paulinho Marília, aos 29.



O técnico Zé Teodoro recuou sua equipe nos minutos finais e garantiu a classificação

Para não dizer que o Santa não fez nada em termos ofensivos, Walter cabeceou com perigo aos 28 minutos. E só. No fim, o 0x0 no intervalo foi lucro para os pernambucanos. Apesar do cenário, Zé Teodoro não fez mudanças para a etapa final. E nos minutos iniciais, o time, enfim, conseguiu encaixar a marcação. Além disso, teve uma ótima oportunidade de marcar em uma falta próximo a linha da grande área do Coruripe, mas Weslley, na cobrança. isolou. Três minutos depois, o técnico Freitas Nascimento foi para o tudo ou nada ao tirar o lateral-direito Alex Murici para a entrada do atacante Ivan, maior ídolo da torcida alagoana.No entanto, a situação coral voltaria a se complicar graças a uma expulsão ridícula de Washington, que recebeu o cartão vermelho por fazer cera quando deixava o gramado para ser substituído pelo volante Chicão. Com um jogador a menos, Zé Teodoro foi para a retranca total com Chicão entrando no lugar de Thiago Cunha, aos 21.

No final a equipe do Tricolor do Arruda  foi agradecer o apoio da galera

Mas não demoraria para as duas equipes voltarem a ter os mesmo número de jogadores. Aos 26, após cobrança de escanteio, o árbitro goiano André Luiz de Freitas Castro marcou falta de Kyros em cima do goleiro Santos. Na sequencia do lance, o arqueiro do Coruripe agrediu o atacante coral e também foi expulso. O goleiro reserva Jeferson entrou na vaga de Paulinho Marília.Os minutos seguintes foram de pressão dos donos da casa. O Santa chegava a se defender com todos os seus jogadores dentro da área. O congestionamento coral deu certo, já que mesmo com muito mais volume de jogo, o Coruripe não conseguia assustar de fato o goleiro Tiago Cardoso.Para sair do sufoco, Zé Teodoro colocou em campo Ludemar e Bismarck para voltar a contar com os contra-ataques. Aos 42, em um deles, Weslley quase acerta o ângulo de Jeferson. No fim, alívio coral.

Fonte: Jornal do Commercio(PE) -Fotos: Guga Matos/JC Imagem

Deixe uma resposta