Fifa aprova seguro que cobrirá lesões de jogadores, nomeada 1ª mulher ao ExCo

A burundinesa Lydya Nsekera é a primera mulher a integrar o Comitê Executivo da FIFA

 A Fifa aprovou nesta sexta-feira (25/05) a contratação de um seguro que cobrirá as lesões dos jogadores que estiverem atuando em partidas das suas seleções.A Fifa pagará a partir de setembro US$ 75 milhões (pouco mais de R$ 150 milhões), por um seguro que cobre até US$ 27 mil diários e que atinja no máximo a US$ 9,7 milhões de dólares anuais em caso de lesão, confirmou o secretário-geral da organização, Jerome Valcke.O pagamento do seguro será estabelecido em cima do valor estimado do atleta, mas sem superar o teto estabelecido de US$ 9,7 milhões.
“É uma decisão muito importante e um grande passo adiante”, afirmou o dirigente aos delegados da Fifa, reunidos no Congresso anual da entidade, encerrado na sexta-feira em Budapeste, na Hungria.
Com a decisão, está encerrada a discussão entre clubes, Fifa e Uefa, sobre as despesas dos clubes com as lesões dos jogadores. Nesta semana, inclusive, o Bayern de Munique disputou um amistoso contra a Holanda, como pagamento uma dívida relativa aos gastos que o clube teve por causa de uma lesão que o jogador teve agravada durante a disputa da Copa de 2010.A apólice cobrirá os jogadores a partir de 1º de setembro. Na Eurocopa, a Uefa já fechou outro seguro que cobre possíveis lesões durante o torneio, que será disputado a partir de 8 de junho, na Ucrânia e Polônia.

Congresso da entidade, que se reuniu sob a presidência de Joseph S. Blatter para a sua 62ª edição nos dias 24 e 25 de maio em Budapeste, na Hungria, deu apoio integral ao processo de reforma da entidade máxima do futebol e à sua continuidade até o Congresso de 2013, conforme previsto no cronograma anunciado em outubro último. O presidente da FIFA defendera reformas de governança e tolerância zero para com quaisquer irregularidades durante o encontro do ano passado, antes de receber do Congresso o mandato de conduzir as mudanças.

“Hoje é um dia histórico”, declarou Blatter. “No Congresso de 2011, defendi o aperfeiçoamento das nossas boas práticas de governança, e assim fizemos. Estou contente que a primeira parte da reforma tenha recebido esse apoio fantástico do Congresso. Isso também mostra a união do nosso Congresso. Mas o trabalho não termina aqui. O processo de reforma continuará, conforme planejado, até o Congresso de 2013. Portanto, o cronograma será respeitado. A FIFA e eu estamos firmemente comprometidos com esse processo.”

O presidente do Comitê Independente de Governança (CIG), o especialista internacional Prof. Mark Pieth, e os presidentes das Forças-tarefa de Revisão do Estatuto, Theo Zwanziger (Alemanha), do Comitê de Ética, Claudio Sulser (Suíça), de Transparência e Cumprimento de Leis, Frank Van Hattum (Nova Zelândia) e da FIFA Task Force Football 2014, Franz Beckenbauer (Alemanha), apresentaram relatórios do seu trabalho ao Congresso.
Aprovadas alterações estatutárias

As emendas ao Estatuto da FIFA submetidas à votação do Congresso, resultantes do trabalho do CIG e das forças-tarefa, foram amplamente aprovadas, com 192 votos (96%) a favor. O Congresso também aprovou que as alterações referentes aos artigos 10, 30 e 87 do Estatuto e ao artigo 1º do seu regulamento de aplicação entrem em vigor imediatamente.

Entre as principais propostas estava a restruturação do Comitê de Ética, com a adoção de duas câmaras, uma de investigação e uma de decisão, ambas com presidência independente. O Congresso incumbiu o Comitê Executivo de realizar uma assembleia extraordinária, prevista para o dia 29 de junho, na qual a cúpula da FIFA adotará o Código de Ética e nomeará os presidentes das duas instâncias a fim de que o novo órgão possa começar a trabalhar assim que o Estatuto entrar em vigor, 60 dias após o Congresso.

Foi aprovada ainda a criação de um Comitê de Auditoria e Cumprimento de Leis, que ampliará o escopo de atividade do antigo órgão de auditoria ao acrescentar a adequação legal às suas responsabilidades. Domenico Scala (Suíça/Itália)foi ratificado como presidente independente do comitê, conforme sugestão do CIG. O Código de Conduta da FIFA também recebeu aprovação.

Além disso, foi alterado o procedimento de filiação à FIFA, possibilitando que, em princípio, novos membros sejam aceitos sem aguardarem dois anos em nível continental. O primeiro beneficiário da mudança foi a Federação de Futebol do Sudão do Sul, que se tornou o 209º membro da FIFA depois de filiar-se à Confederação Africana de Futebol em fevereiro deste ano. A entidade sul-sudanesa é presidida por Chabur Goc Alei.

O trabalho não termina aqui. O processo de reforma continuará, conforme planejado, até o Congresso de 2013. Portanto, o cronograma será respeitado.

Joseph S. Blatter, presidente da FIFA, sobre o cronograma das reformas de governança

Em relação à criação de um assento feminino no Comitê Executivo da FIFA, proposta apresentada pelo presidente da entidade no Congresso do ano passado, o conjunto das federações aprovou que uma mulher seja cooptada até 2013 e que, subsequentemente, o cargo seja preenchido mediante eleições formais no Congresso. A nomeação de Lydia Nsekera foi ratificada hoje e a posse oficial da burundinesa foi aplaudida de pé pelos congressistas.

O novo presidente da CONCACAF, Jeffrey Webb (Ilhas Cayman), foi empossado oficialmente como vice-presidente da FIFA e membro do Comitê Executivo da entidade. O brasileiro Marco Polo del Nero também tomou posse no Comitê Executivo da FIFA.

Programa de Proteção aos Clubes
Na pauta das discussões relativas à política estratégica e esportiva da FIFA, o Congresso aprovou a implementação do Programa de Proteção aos Clubes em nome das federações afiliadas. Através dele, a FIFA indenizará o clube cujo jogador se lesionar em partidas de seleções principais incluídas no calendário internacional entre 1º de setembro de 2012 e 31 de dezembro de 2014. O orçamento do programa chega a cerca de US$ 75 milhões. A iniciativa é uma importante novidade que beneficiará toda a família do futebol.

Além disso, o Congresso recebeu um relatório sobre as atividades da FIFA na luta contra a manipulação de resultados. O secretário-geral da INTERPOL, Ronald K. Noble, falou aos participantes do encontro sobre o acordo de cooperação de dez anos assinado entre as duas instituições em maio. O zagueiro italiano Simone Farina, que no ano passado denunciou uma tentativa de suborno para influenciar o resultado de uma partida válida pela Copa da Itália, foi convidado a subir ao palco para unir-se ao presidente da FIFA e ao secretário-geral da INTERPOL. Farina foi nomeado embaixador do movimento Football for Hope da FIFA no último mês de março.

A FIFA e o Centro Nobel da Paz, instituição que administra o célebre prêmio, firmaram uma parceria batizada “Aperto de Mãos pela Paz”. A diretora-executiva do Centro Nobel da Paz, Bente Erichsen, também falou ao Congresso. Com a implementação da iniciativa, os árbitros e capitães apertarão as mãos não apenas antes do início do jogo, mas também logo após o apito final. O gesto de fair play será introduzido na totalidade das competições da FIFA e todas as federações foram conclamadas a aderirem ao movimento.

O presidente da FIFA apresentou pessoalmente as medidas tomadas pela entidade a fim de elevar o nível da arbitragem, com destaque para a profissionalização do ambiente de trabalho e da preparação dos árbitros internacionais e para o desenvolvimento da arbitragem nas confederações e federações afiliadas.

O Congresso também apoiou o apelo lançado ontem durante a Conferência Médica da FIFA para que desfibriladores externos automáticos sejam disponibilizados em jogos de futebol no mundo todo.

Finalmente, o Congresso aprovou o Relatório Financeiro da FIFA para o exercício 2011, assim como o orçamento da entidade para 2013.

Todas as federações afiliadas à FIFA participaram do Congresso deste ano. Nos termos do artigo 14, item 4 do Estatuto, os representantes de Brunei e São Tomé e Príncipe não tiveram direito a voto.

Fonte: FIFA.com

Deixe uma resposta