Origem do futebol – VI

No Pará,
segundo o
pesquisador
Alves da
Cunha, o
futebol surgiu
em 1892,
quando os
sócios do
Clube de
Esgrima fizeram um bate-bola
na Praça Batista Campos, em
Belém. O primeiro clube
gaúcho, o Esporte Clube Rio, é
fundado em 1900. Em
Pernambuco, marinheiros
ingleses praticavam futebol
fazia alguns anos, até que em
1901 brasileiros fundam o
Náutico. Também no ano de
1901 chegara à Bahia a
primeira bola de futebol, na
mala do jovem José Ferreira
Júnior, o Zuza, que também
fora estudar na Europa. O
futebol chegou ao Ceará no ano
de 1904, quando passou a ser
jogado nas praias e nos
colégios. No Paraná, surge o
Coritibano Football Club, em
1909 No ano de 1915, foi
promovido em Recife o primeiro
campeonato com a fundação da
Liga Pernambucana de Futebol.
          A 13 de março do ano de
1919, aparece no Jornal do
Brasila primeira notícia sobre a
criação de uma liga contra o
futebol. Estava declarada uma
guerra fria de debates pela
imprensa e discussões entre
intelectuais contra o novo
esporte. Na polêmica,
apareceram os nomes dos
escritores Lima Barreto e Coelho
Neto, o primeiro contra o futebol
e o segundo a favor. Na posição
de cada um é que se pode
analisar o que representava
para o Brasil, sob o ponto de
vista social, aquele esporte
trazido da Inglaterra. Lima
Barreto, nascido e criado no
subúrbio, mulato, boêmio, alma
carioca, homem do povo,
erafrequentador dos bares onde
se bebia cachaça e se discutia
política. Teria sido um eterno
apaixonado pelo futebol, se
vivesse até hoje; Coelho Neto,
maranhense realizado,
acadêmico e aristocrata,
“príncipe de nossas letras”,
frequentador das reuniões
sociais do Fluminense, talvez
não se entusiasmasse tanto pelo
futebol, se também tivesse
chegado aos nossos dias.
          Essas posições foram
assumidas numa época em que
o futebol estava, na verdade,
longe de ser um esporte aberto
a todas as classes, a todas as
raças, a todos os brasileiros.
Lima Barreto o atacava e
voltariaa atacar em 1921,
quando soube que o presidente
Epitácio Pessoa não queria
jogadores negros na seleção
brasileira, porque o futebol
estava ainda vedado aos seus
modestos companheiros e
amigos do subúrbio. Era
considerado pelo escritor
carioca um esporte racista,
preconceituoso. Para Coelho
Neto, a discriminação não
existia apenas no futebol e o
esporte não devia pagar por ela.
A guerra ao futebol, porém,
terminou quando Lima Barreto
morreu em 1922 e a paz final foi
assumida, a partir do dia em
que todos os brasileiro se
tornaram iguais perante a bola.
          Durante quarenta anos,
de 1923 a 1963, o grande fator
de sedimentação de nosso
futebol foi o Campeonato
Brasileiro de Seleções. Ele
revelava todo ano novos
craques e demonstrava quase
sempre a superioridade total
dos paulistas e cariocas, que
invariavelmente disputavam o
título em partidas memoráveis.
Curiosamente, no último ano em
que foi disputado (1963) foram
campeões os mineiros, que de
lá para cá começaram a crescer
e hoje, na expressão da
crônica,“nova força no cenário
nacional, assim como os
gaúchos e os pernambucanos”.

Deixe uma resposta