Coluna Ramon Paixão 153 – Fumaça negra no Vaticano: Eleição do Papa prossegue nesta 4ª feira

A primeira eleição dos 115 cardeais reunidos no Conclave que nesta terça-feira se iniciou no Vaticano resultou em fumaça negra, o que significa que os responsáveis vão retomar nesta quarta-feira os escrutínios para a escolha do novo Papa.A ‘fumaça’ que surgiu às 19h41 de Roma (15h41 de Brasília) foi acompanhada por milhares de pessoas na Praça de São Pedro, apesar da chuva que caiu sobre Roma nas últimas horas, e pelas câmaras do Centro Televisivo do Vaticano, com transmissão na internet. O processo eleitoral, regido por legislação de João Paulo II e Bento XVI, só acaba quando for obtida uma maioria de dois terços dos votos (77 neste caso).

As últimas seis eleições papais foram decididas após um máximo de três dias de votações e Bento XVI foi eleito aos 78 anos num Conclave que decorreu entre os dias 18 e 19 de abril, após quatro votações.Os 115 cardeais eleitores do Conclave estavam reunidos à porta fechada na Capela Sistina desde as 16h34 (hora de Lisboa), após a procissão inaugural e o juramento.

A eleição é dirigida pelo primeiro cardeal na ordem de precedência, atualmente D. Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos, que preside também aos momentos previstos pela liturgia própria.

Os presentes prestaram conjuntamente um juramento de “segredo” sobre o que diz respeito à eleição do Papa e comprometer-se a desempenhar fielmente a sua missão caso sejam escolhidos como o novo pontífice.

“Invoco como testemunha Cristo Senhor, o qual me há de julgar, que o meu voto é dado àquele que, segundo Deus, julgo deve ser eleito”, referiu posteriormente cada um dos cardeais, com a mão sobre o livro dos Evangelhos.

O dia começou com a missa votiva pela eleição do “pontífice romano”, na Basílica de São Pedro, sob a presidência do decano (presidente) do Colégio Cardinalício, segundo o qual o novo Papa deve estar pronto a sacrificar a vida pelos fiéis.

“A atitude fundamental de todo o bom pastor é (…) dar a vida por suas ovelhas. Isto vale, sobretudo, para o Sucessor de Pedro, Pastor da Igreja universal. Porque quanto mais alto e mais universal é o ofício pastoral, tanto maior deve ser a caridade do Pastor”, vincou o cardeal Angelo Sodano.

“Todos nós devemos colaborar para edificar a unidade da Igreja”, referiu ainda, frisando que Cristo “estabeleceu os seus Apóstolos, entre os quais Pedro tem a primazia como o fundamento visível da unidade”.

Os cardeais eleitores, após a recitação da oração de vésperas na Capela Sistina, jantam na Casa de Santa Marta, onde residem durante o Conclave, sem qualquer contacto com o exterior.

Neste local, os cardeais vão cruzar-se apenas com os responsáveis pelos serviços de limpeza, alimentação e segurança, para além dos condutores dos veículos que fazem o percurso entre a Casa de Santa Marta e o Palácio do Vaticano, todos eles sujeitos a juramento de segredo, sob pena de excomunhão.
Fontes: Agência Ecclesia(Portugal) –  Corriere della Sera

Charge de jornal italiano mostra dom Odilo de frente para o gol
Cardeal brasileiro é apontado como um dos favoritos no conclave papal

O jornal italiano Corriere della Sera publicou na capa da edição desta terça-feira uma charge do artista gráfico Giannelli que mostra os cardeais no interior da Capela Sistina jogando uma partida de futebol O gaúcho dom Odilo Scherer, 63 anos , arcebispo de São Paulo é apontado como um dos favoritos a papa,A charge é intitulada de “Partida a portas fechadas; O brasileiro”, em referência ao sigilo mantido pelos cardeais pelo o que acontece dentro da Capela Sistina, no Vaticano. Na imagem  vários cardeais são driblados por dom Odilo Scherer, que corre sorridente para o gol, formado por dois castiçais.

” Novo Papa deve estar pronto a dar a vida pela Igreja Católica”, diz o mais antigo dos cardeais

Dom Angelo Sodano presidiu à missa que antecede início do processo de eleição do sucessor de Bento XVI

  Sodano. o mais antigo dos cardeais da Igreja Católica afirmou mesta terça-feira no Vaticano, na missa que antecede o Conclave para eleger o sucessor de Bento XVI, que o novo Papa deve estar pronto a sacrificar a vida pelos fiéis.  “A atitude fundamental de todo o bom pastor é (…) dar a vida por suas ovelhas. Isto vale, sobretudo, para o Sucessor de Pedro, Pastor da Igreja universal. Porque quanto mais alto e mais universal é o ofício pastoral, tanto maior deve ser a caridade do Pastor”.

Perante os 115 cardeais que vão estar no Conclave e a maior parte dos membros do Colégio Cardinalício, revestidos de paramentos vermelhos, bem como de clero, leigos e autoridades civis que enchem a Basílica de São Pedro, o cardeal decano lembrou o “serviço de amor pela Igreja e pela humanidade inteira” realizado pelos Papas.Os “últimos pontífices foram artífices de muitas iniciativas benéficas também para os povos e a comunidade internacional, promovendo sem cessar a justiça e a paz”, naquele que é um “serviço de caridade faz parte da natureza íntima da Igreja”, disse D. Angelo Sodano.”Rezemos para que o futuro Papa possa continuar esta incessante obra a nível mundial”, prosseguiu.A “missão de misericórdia” que Deus confiou “aos pastores da sua Igreja” compromete “todo o sacerdote e bispo, mas empenha ainda mais o bispo de Roma, pastor da Igreja universal” e “fundamento visível da unidade” eclesial, assinalou.
D. Angelo Sodano recordou o legado do Papa emérito, evocação seguida de um aplauso da assembleia: “Queremos oferecer-nos com Cristo ao Pai que está nos Céus para agradecer-lhe pela amorosa assistência que sempre reserva à sua Santa Igreja e em particular pelo luminoso Pontificado que nos concedeu com a vida e as obras do 265.º Sucessor de Pedro, o amado e venerado Pontífice Bento XVI, ao qual neste momento renovamos toda a nossa gratidão”.“Queremos implorar do Senhor que mediante a solicitude pastoral dos padres cardeais queira em breve conceder outro Bom Pastor à sua Santa Igreja”, acrescentou.

A missa, celebrada em latim, à exceção da homilia e de algumas orações, incluiu uma prece em português pedindo “justiça”, “solidariedade” e “concórdia para a humanidade”, além de pedidos em várias línguas pelos cardeais que vão escolher o sucessor de Bento XVI.No final da celebração Dom Angelo Sodano rezou para que o novo Papa “ilumine” a Igreja “com a verdade do Evangelho” e a “edifique com o testemunho de vida”.

Fontes:  Vaticano.it – Agência Ecclesia.pt
Fotos: Corriere della Sera.it




Segundo Conclave do século XXI  inicia eleição do sucessor de Bento XVI

Em 2005  o Colégio dos Cardeais reuniu-se na Capela Sistina, no Vaticano para o conclave, no qual Joseph Alois Ratzinger (depois Bento XVI) foi eleito para suceder João Paulo II como papa.

A Igreja Católica vive a partir desta terça-feria(12/03)  o segundo Conclave do século XXI, no qual 115 cardeais vão eleger o sucessor de Bento XVI, que renunciou ao pontificado, obrigatoriamente por uma maioria de dois terços.

O processo começou ao início da manhã com a instalação dos eleitores na Casa de Santa Marta, dentro no Vaticano, em quartos sorteados, e prosseguiu às 10h00 locais (menos uma em Lisboa), com a missa votiva pela eleição do Papa, na Basílica de São Pedro.

A celebração contou com a participação de todos os cardeais, uma novidade introduzida por Bento XVI, sob a presidência do decano do Colégio Cardinalício, D. Angelo Sodano, antigo secretário de Estado do Vaticano, que não vai entrar no Conclave por ter mais de 80 anos de idade


A partir das 16h30 de Roma, as atenções centram-se no Palácio Apostólico do Vaticano, onde os cardeais eleitores se vão reunir na Capela Paulina para o rito de entrada do Conclave e a procissão até à Capela Sistina, onde decorrem os escrutínios.

O Centro Televisivo do Vaticano vai ter uma câmara fixa na chaminé da Sistina para acompanhar em direto a saída do fumo que indica o resultado das eleições: branco, se houver maioria de dois terços [77 votos, neste caso], ou negro, se a votação tiver sido inconclusiva.

A eleição é dirigida pelo primeiro cardeal na ordem de precedência, atualmente D. Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos, que preside também aos momentos previstos pela liturgia própria.

“Toda a Igreja, unida a nós na oração, invoca sem cessar a graça do Espírito Santo para que seja eleito por nós um Pastor digno de todo o rebanho de Cristo”, refere a oração para o início da procissão.

Os cardeais rumam à capela Sistina, rezando a ladainha dos Santos, e tomam os seus lugares ao som do hino ‘Veni, creator Spiritus’, que invoca a ajuda do Espírito Santo.

Cada um dos presentes tem de prestar o juramento de “segredo” sobre o que diz respeito à eleição do Papa e comprometer-se a desempenhar fielmente a sua missão caso sejam escolhidos como o novo pontífice.

“Invoco como testemunha Cristo Senhor, o qual me há de julgar, que o meu voto é dado àquele que, segundo Deus, julgo deve ser eleito”, refere cada um dos cardeais.

Terminado o juramento, todas as pessoas estranhas à eleição saem após a ordem ‘Extra Omnes’ (todos fora): permanecem apenas o mestre das celebrações litúrgicas e o eclesiástico escolhido para a segunda meditação, o cardeal maltês D. Prosper Grech.

Caso os cardeais decidam proceder a um primeiro escrutínio, o resultado será comunicado através do fumo, seguindo-se a recitação da oração de vésperas e o regresso à Casa de Santa Marta.

O Conclave conta com cardeais de 48 países, incluindo dois portugueses: D. José Policarpo, cardeal-patriarca de Lisboa, e D. Manuel Monteiro de Castro, penitenciário-mor da Santa Sé.

O grupo de 115 eleitores está assim distribuído geograficamente: Europa – 60 (incluindo 28 italianos); América Latina – 19; América do Norte – 14; África -11; Ásia – 10; Oceânia – 1.

O sucessor de Bento XVI, que renunciou ao pontificado, será o 50.º Papa da Igreja Católica nos últimos 500 anos, desde a eleição de Leão X a 19 de março de 1513.

O Conclave, palavra com origem no latim ‘cum clavis’ (fechado à chave), pode ser definido como o lugar onde os cardeais se reúnem em clausura para eleição do Papa.

Fontes: Agência Ecclesia(Portugal) – Agência Brasil(EBC)



Ramon Paixão – jornalista, radialista, cronista esportivo, cronista carnavalesco,editor-chefe do Jornal Escanteio e locutor da Rádio Pitaguary-AM. E-mail:

ramonpaixao@folha.com.br acecceeventos.blogspot.com Telefone para contatos: (085) 8868-0773.

Deixe uma resposta