Grêmio Imortal Tricolor: 110 anos de glórias e conquistas, orgulho do futebol brasileiro

“Esse amor descontrolado, nunca vou deixar de lado”. E foi há 110 anos que nascia este sentimento chamado Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Este amor descontrolado que é cantado nas arquibancadas começou no dia 15 de setembro de 1903. E para comemorar a data, o Yahoo Esporte Interativo preparou uma matéria especial sobre o orgulho de ser gremista.

Veja Também:
– ‘A presença do torcedor é fundamental’, afirma Kleber
– ‘Poderia ter sido mais fácil’, afirma Kleber
– Com facilidade, Grêmio bate o Náutico na Arena Pernambuco

O presidente do Grêmio, Fábio Koff, credita estes 110 anos para a torcida. Concordando com o texto do jornalista Mauro Beting, “eles são Grêmio para o que der e vencer. Mesmo que não venha, eles vão”. O mandatário gremista deixa um recado para os torcedores.

“Eu tenho que enfatizar que o Grêmio só chegou nesta grandeza pela força de seu torcedor. Essa história foi escrita desde a figura mais importante do clube até o mais modesto e esquecido torcedor do mais distante rincão do estado. O Grêmio é isso. É um caso de amor, é um fato sociológico. O Grêmio é uma paixão de mais da metade do Rio Grande do Sul, que realmente está em festa por que quantas entidades, quantas empresas viveram tanto? Quantas resistiram às dificuldades que o Grêmio enfrentou? Quantas tem páginas de glórias, capítulos de história tão brilhantes quanto o Grêmio. O Grêmio é um dos maiores clubes da América do Sul e do Mundo. E é para este torcedor que no curso destes 110 anos ajudou a construir esta entidade que eu parabenizo e deixo meu abraço”, homenageia Koff.



“É inexplicável”

Foi assim que o lateral Pará tentou explicar o inexplicável: o sentimento de ser gremista. Assim como a música da torcida, este é “um sentimento, não trate de entendê-lo”. Até por que não tem como. Mas o “Parázinho”, como é chamado carinhosamente pelos torcedores, arriscou. Vindo da distante São João do Araguaia, da terra que inspirou seu apelido, o jogador de 27 anos, quase dois dedicados ao Tricolor, tentou resumir este amor descontrolado. 

“Ser gremista é uma coisa inexplicável por que é um clube muito grande, de tradição. E tem uma torcida maravilhosa que quando jogávamos no Olímpico, a avalanche era uma coisa de louco. Na Arena também não é diferente. Então, acho que ser gremista é uma coisa especial”, explica Pará.

O lateral também falou sobre o orgulho de ser azul, preto e branco. 

“Para mim é um orgulho estar participando de um grupo como o Grêmio. A gente sabe que é um clube com muita tradição, estou muito feliz por estar aqui”, conclui.




A prata da casa também falou sobre o sentimento de ser gremista. O goleiro Marcelo Grohe, 13 anos dedicados ao lado Tricolor do Rio Grande do Sul, considera uma sensação fantástica. O “xodó” da torcida também destaca que está realizando um sonho ao jogar no Tricolor.

“É uma sensação muito boa. Cara, é uma… sensação fantástica de um clube maravilhoso, muito grande. De uma torcida maravilhosa, de muitas conquistas… com muito sofrimento, como todo mundo sabe disso. Então, é a cada jogo uma emoção muito grande e jogar neste clube também é a realização de um sonho, tudo se completando”, afirma Marcelo Grohe.

Este é um sentimento realmente difícil de explicar. Até o mais gremista às vezes não consegue. Como a própria torcida canta nas arquibancadas: “Tu és a vida, tu és a paixão. E o sentimento vai além da razão.” Então não tem como achar uma resposta para a pergunta o que é ser gremista. Contudo, agora é comemorar a data e esperar por mais 110 anos de glórias, que tem o Imortal Tricolor. Por que os feitos da tua história cantam o Rio Grande com amor. Parabéns, Grêmio, por onze décadas de orgulho para os torcedores.



CBF homenageia Grêmio

No dia em que o Grêmio completa 110 anos, neste domingo, 15 de setembro, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) postou uma homenagem ao clube gaúcho em seu site. A nota diz o seguinte:

“O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense foi fundado no dia 15 de setembro de 1903. Completa neste dia 15 de setembro de 2013, 110 anos de glórias e conquistas que o tornam o clube com trajetória grandiosa no futebol brasileiro.

Campeão mundial interclubes; duas vezes campeão da Libertadores; quatro títulos da Copa do Brasil; 36 estaduais gaúcho; dois Campeonatos Brasileiros Série A; campeão brasileiro Série B e campeão da Recopa Sul-Americana são capítulos da história vitoriosa do clube que é orgulho dos gaúchos e de milhares de gremistas espalhados pelo Brasil.

O presidente da CBF, José Maria Marin, seus vice-presidentes, diretores e funcionários parabenizam o presidente do Grêmio, Fábio Koff, representando todos os gremistas do Brasil.

— O Grêmio tem uma história bonita, marcada por conquistas que o tornam orgulho de todos os desportistas que amam o futebol. Quero cumprimentar o seu presidente, Fábio Koff, sua diretoria, jogadores, comissão técnica e torcedores pelos 110 anos de fundação completados neste domingo.

Ainda como homenagem aos 110 anos do Imortal Tricolor, o site CBF reproduz o hino do Grêmio, composto pelo grande Lupicínio Rodrigues: Até a pé nós iremos / para que der e vier / Mas o certo é que nós estaremos / com o Grêmio onde o Grêmio estiver.”

GRÊMIO FUTEBOL PORTO-ALEGRENSE, aos 30 anos.
Em 1933, o GRÊMIO FBPA, campeão da cidade, após vencer o GS Pelotas, campeão do interior, sagrou-se campeão do estado pela terceira vez. Foto: reprodução Porto História PH/Revista do Globo

Um pouco de história…
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense foi fundado no dia 15 de setembro de 1903 em um restaurante do centro de Porto Alegre. Cerca de 30 pessoas estavam no local naquele dia, entre elas Cândido Dias, Guilherme Kaelfels e o primeiro presidente do clube, Carlos Luiz Bohrer. Todos eram descendentes de imigrantes portugueses e alemães estabelecidos na capital do Rio Grande do Sul, localizada a 150 quilômetros da fronteira com o Uruguai.

Por ser o estado situado mais ao sul do Brasil, o clima da região é bem mais frio que no resto do país. Dizem que esse fato influenciou o tipo de futebol praticado pelos gaúchos, mais aguerrido e objetivo que o futebol-arte geralmente associado aos brasileiros.

Originalmente, o Grêmio deveria vestir a camisa com listras azuis e marrons usada pelo clube inglês Exeter City. Contudo, a escassez de tecido marrom em Porto Alegre acabou fazendo com que as cores do uniforme fossem gradualmente alteradas. Em 1929 é que se adotou definitivamente o azul, preto e branco que permanecem até hoje.

No dia 6 de março de 1904, o Grêmio disputou o seu primeiro jogo oficial no então recém-construído Estádio da Baixada, no bairro Moinhos de Vento. Cinquenta anos mais tarde, o clube inaugurou o Estádio Olímpico Monumental, com capacidade para 60 mil pessoas. Apesar da boa estrutura, dos cerca de 30 títulos do Campeonato Gaúcho e da intensa rivalidade com o Sport Club Internacional, o Tricolor teve de esperar até 1981 — 78 anos após a sua fundação — para se sagrar campeão brasileiro pela primeira vez.

Mas erguer a taça mais importante do esporte nacional seria apenas um aperitivo para o time, que conquistaria ainda a Libertadores da América e a Copa Intercontinental na época de ouro vivida na década de 1980, quando era comandado no ataque por Renato Gaúcho. Depois disso, o Grêmio manteve o seu lugar na elite do futebol brasileiro, alimentando uma rivalidade saudável com os grandes clubes do Rio de Janeiro e de São Paulo.

Entrevista
Antes da estreia na Arena, Ronaldinho exaltou ex-clube: “O Grêmio sempre estará no
meu coração”

Maestro do Atlético-MG na conquista da Libertadores, camisa 10 quer ter sequência no clube para voltar à Seleção

Formado nas categorias de base do Tricolor, Ronaldinho afirma: “O Grêmio é um clube pelo qual tenho um grande carinho e respeito”Foto: Emílio Pedroso/Agência RBS/BD

Será o domingo em que o Grêmio pode encostar no líder Cruzeiro. Será também um dia de festa, pelos 110 anos do clube. Mas tudo isso fica em plano secundário. O que importa para cada um dos mais de 40 mil gremistas presentes na Arena é quem estará do outro lado. E esse alguém é Ronaldinho.

O camisa 10 ainda mexe com os corações azuis, que não esquecem a tumultuada na virada de 2010 para 2011, quando foi apresentado ao Flamengo. Será a primeira visita de Ronaldinho à Arena. Até por isso o estádio receberá um público bem superior à boa média de 26 mil pessoas nestes seus primeiros oito meses de vida.

Ronaldinho chega credenciado pelo título da Libertadores e o bom momento no Atlético-MG. Mesmo que o time ainda busque o foco depois da conquista da América, ele e seu amigo Jô tem mostrado credenciais. Contra o Fluminense, fez dois gols em faltas que são sua marca. No Brasileirão, soma 10 jogos e cinco gols. No ano, são 32 jogos e 13 gols. Jô atravessa fase ainda mais excelente. Faz gols pelo Atlético-MG, pela Seleção, na Libertadores, no Brasileirão, de cabeça, com o pé, de qualquer jeito. Contra o Coritiba, quarta-feira, enfiou três no mesmo jogo. Nem de longe lembra o baladeiro das festas à fantasia nos tempos de Inter.

Será um desafio para o Grêmio. Que também chega bem credenciado. Terceiro colocado, sete vitórias nos últimos oito jogos, o time está azeitado no 3-5-2. Renato está em fase tão boa que nem precisa tirar jogador do time para acomodar todos. Riveros, de volta do Paraguai, jogará ao lado de Zé Roberto e Ramiro porque Souza sentiu dores e pediu para ficar de fora.

Na frente, Vargas retoma o lugar na vaga de Kleber, suspenso. O chileno vem de dias de Messi na seleção. Fez gols nos últimos seis jogos, virou o recordista e ainda, de lambuja, marcou dois contra a Espanha, campeã do mundo. Ao seu lado, Barcos comanda a nau tricolor. O argentino conta sete gols em 16 jogos com Renato, quase o dobro do que havia feito na Era Luxemburgo.

Enfim, será um domingo especial o da primeira visita de Ronaldinho na Arena.

“O Grêmio sempre estará no meu coração”

Na sexta-feira, após o treino na Cidade do Galo, CT do Atlético-MG, Ronaldinho atendeu ao Diário Gaúcho. De Belo Horizonte, o camisa 10 respondeu, por e-mail, perguntas que haviam sido enviadas no início da tarde. Maestro da conquista da primeira Libertadores do Galo, o meia revelou tranquilidade sobre as chances de jogar a Copa de 2014 e a expectativa de seu primeiro jogo na Arena do Grêmio. Questionado sobre o desejo de vestir novamente a camisa do clube, saiu-se com declaração de amor ao clube onde ele e o irmão, Assis, cresceram. Confira.

Diário Gaúcho — Qual o segredo do Atlético para ter um futebol em um nível tão alto?
Ronaldinho — O segredo do Atlético-MG é jogar sempre no nosso estilo. Sempre que conseguimos, o resultado é bom.

DG — Pela qualidade do teu futebol no Atlético-MG, acredita que receberá o reconhecimento e ir à Copa? 
Ronaldinho — Acho que a Seleção é a sequência do clube. Se estiver bem no clube, terei chance de convocado.

DG — Como está o segundo semestre do Galo, que disputa Brasileiro e precisa se preparar para o Mundial? 
Ronaldinho — A preparação para cada jogo após a Libertadores não é fácil, mas aos poucos estamos recuperando o foco e o nosso ritmo.

DG — Ansioso pra fazer a primeira partida na Arena? Atualmente, seu coração é preto e branco, mas com o azul do passado, ele ainda é Tricolor? 
Ronaldinho — Não estou ansioso. O Grêmio é um clube pelo qual tenho um grande carinho e respeito. Tenho uma grande admiração pelo presidente Fábio Koff e pelo Renato Portaluppi, que conheço há muitos anos. Ele jogou com o meu irmão e é um grande ídolo de todos os gremistas.

DG — Mesmo que esteja muito bem no Galo, você pensa em defender novamente o Grêmio, onde você cresceu?
Ronaldinho — O Grêmio sempre estará no meu coração

.Por Marco Souza – Zero Hora, Porto Alegre


Há  quase 30 anos, Grêmio vencia Hamburgo e era campeão mundial

Com dois gols de Renato Gaúcho, Tricolor conquistava o maior título de sua história

Há quase 30 anos, no dia 11 de dezembro de 1983, o Grêmio era campeão mundial de clubes. Com uma vitória por 2 a 1 sobre o Hamburgo, na prorrogação, o time liderado por Renato Portaluppi conquistava o título mais importante da história do clube.

Antes, o Grêmio havia sido campeão da Libertadores ao vencer o Peñarol na decisão. O Hamburgo chegou ao Mundial como campeão da Liga dos Campeões da Europa. Na decisão, venceu a Juventus de Michel Platini.

Renato abriu o placar para os gremistas aos 37 minutos do primeiro tempo. Depois de ficar à frente do placar por quase toda a partida, o Grêmio cedeu o empate. Schröder igualou o placar aos 40 minutos da etapa final. Na prorrogação, novamente Renato balançou as redes, logo a três minutos. Depois, o Tricolor segurou o resultado e conquistou o mundo.

O Grêmio reencontraria o Hamburgo quase 29 anos depois, no dia 8 de dezembro de 2012, em outro momento histórico do Grêmio. Na inauguração da Arena, o Tricolor voltaria a vencer por 2 a 1, desta vez com gols de André Lima e Marcelo Moreno.

FICHA TÉCNICA DA DECISÃO
GRÊMIO 2×1 HAMBURGO

Estádio Nacional de Tóquio, 11/12/1983
Árbitro: Michel Vautrot (FRA)
Assistentes: Toshikazu Sano (JAP) e Shizuhasu Nakamichi (JAP)
Gols: Renato (37’/1°T e 3’/1°Pro) e Schröder (40’/2°T)

Grêmio: Mazarópi; Paulo Roberto, Baidek, De León e PC Magalhães; China, Osvaldo e Mario Sérgio; Renato Portaluppi, Tarciso e Paulo César Caju. Técnico: Valdir Espinosa.

Hamburgo: Stein; Wehemeyer, Jakobs e Hieronymus; Schröder, Groh, Rolff, Hartwig e Magath; Wuttke e Hansen. Técnico: Ernst Happel.

Grêmio: Bicampeão da Copa Libertadores 1995 com o centroavante cearense Jardel (primeiro, à esquerda, agachado)
Perfil do Grêmio(RS) 

Orgulho de ser tricolor
Clube: Grêmio Foot-Ball Porto-Alegrense
Cidade: Porto Alegre
Fundação: 15 de setembro de 1903
Site oficial: www.gremio.net
Principais conquistas*
Copa Intercontinental: 1983 
Copa Libertadores (2): 1983, 1995 
Recopa Sul-Americana: 1996 
Campeonato Brasileiro (2): 1981, 1996 
Copa do Brasil (4): 1989, 1994, 1997, 2001 
Supercopa Brasileira: 1990 
Campeonato Sul-Brasileiro: 1962 
Copa Sul-Brasileira: 1999
Campeonato Brasileiro – Série B: 2005 

Campeonato Gaúcho (36): 1921, 1922, 1926, 1931, 1932, 1946, 1949, 1956, 1957, 1958, 1959, 1960, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1967, 1968, 1977, 1979, 1980, 1985, 1986, 1987, 1988, 1989, 1990, 1993, 1995, 1996, 1999, 2001, 2006, 2007, 2010.

Jogadores históricos
Eurico Lara (1920-35), Airton (1954-67), Milton Kuelle (1954-65), Juarez (1955-61), Gessy (1956-62), Everaldo (1964, 1966-74), Alcindo (1964-71, 1977), Éder (1977-79), Paulo Isidoro (1980-83), De León (1981-84), Renato Gaúcho (1981-86), Valdo (1984-88), Jardel (1995-96), Ronaldinho Gaúcho (1998-2001)

*A lista de títulos acima inclui apenas as conquistas mais importantes e não todas que o clube obteve
Fontes: FIFA.com – Zero Hora(RS) 
www.gremio.net – Yahoo Esporte Interativo
Edição: Ramon Paixão
editor chefe do Jornal Escanteio

Deixe uma resposta