Arena da Amazônia registra segunda morte de operário em menos de 24 horas

Redação Central, 14 dez (EFE).- A obra de construção da Arena da Amazônia, em Manaus, registrou neste sábado a segunda morte de operário, horas depois de um funcionário de empresa subcontratada pela construtora Andrade Gutierrez ter falecido após cair de altura de 35 metros.



José Antônio da Silva Nascimento, de 49 anos, era funcionário da Conserge, empresa que presta serviço para a Unidade de Gestão Metropolitana do Amazonas. O operário morreu de infarto por volta das 9h (horário de Brasília) deste sábado quando trabalhava nos serviços de limpeza e terraplanagem para o asfaltamento do Centro de Convenções da Amazônia.

“José Antônio se sentiu mal quando subiu em uma caçamba. Uma ambulância do Samu foi acionada imediatamente para realizar o atendimento, mas o trabalhador não resistiu. A Conserge está dando toda a assistência necessária à família da vítima”, explicou a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus, através de nota.

Mais cedo, Marcleudo de Melo Ferreira, de 22 anos, morreu ao cair de uma altura de 35 metros, durante a instalação de refletores da Arena da Amazônia. O incidente aconteceu por volta de 4h.

De acordo com a construtora, Marcleudo era da cidade de Limoeiro do Norte, e era funcionário de “empresa subcontratada que presta serviços na montagem da cobertura da Arena da Amazônia”. Após a queda, ele foi socorrido e encaminhado com vida ao Pronto Socorro 28 de Agosto.

Com as duas mortes de hoje, são três registradas nas obras de construção da Arena da Amazônia. Em maio, o operário Raimundo Nonato Lima da Costa, 49 anos, não resistiu a uma queda de altura de cinco metros, ao tentar passar de uma coluna em construção para um andaime.

Considerando as obras nos 12 estádios, são cinco mortes no total. As duas últimas haviam sido registradas na Arena Corinthians, em São Paulo, quando um guindaste caiu sobre parte da arquibancada e de dos operários. 

fonte: uol

Deixe uma resposta