Neymar: “Seleção criou uma identidade”

Entrevista do Neymar a Fifa.com

Neymar tem apenas 22 anos, mas já carrega nas costas o peso das expectativas de um país inteiro. Peso que só aumentou após sua grande participação na última Copa das Confederações da FIFA, quando liderou o Brasil a um título incontestável diante da Espanha.

 Agora, o atacante se prepara para ser novamente o principal líder em campo de uma Seleção que aguarda ansiosamente para subir um degrau a mais e conquistar a Copa do Mundo da FIFA™.

Em Zurique, na Suíça, onde assistiu à cerimônia da Bola de Ouro FIFA como candidato ao Prêmio Puskás, o jogador do Barcelona – que retornou aos gramados com um golaço neste final de semana, após se recuperar de lesão no tornozelo – conversou sobre essa pressão com o FIFA.com.

 Também falou da sua nova vida na Espanha, da relação com Lionel Messi, da força da Seleção Brasileira e garantiu: “Serei campeão mundial”.

FIFA.com: Você está há pouco mais de seis meses no Barcelona. Já se sente diferente do jogador que era no Santos?

Neymar: Não, continuo sendo o mesmo. Apesar de que ganhei experiência, né? Pelo fato de estar em outro país, em outro lugar, em outro ambiente. A gente vai aprendendo outras coisas, (conhecendo) uma nova cultura. E isso é muito bom.

Já está falando espanhol?
Un poco… É bastante parecido com o português, mas um pouquinho mais difícil.

Ficou surpreso com a sua rápida adaptação ao clube?

Não é que eu tenha me surpreendido. Graças a Deus tive muita sorte, principalmente por ter encontrado um grande grupo, com jogadores que me receberam muito bem. Todo o Barcelona.

 São jogadores que ganharam praticamente tudo na vida e ainda mantêm a mesma humildade. É o principal fator para que tudo esteja indo bem.

De que coisas você tem saudades no Brasil?

Sinto falta de casa. Sempre sinto falta dos meus amigos e da minha família. Mas, como disse, estou muito feliz também por estar conhecendo coisas novas.

 Estou vivendo o sonho da minha infância, que era jogar num time europeu. E no Barcelona, que é um time tão grande, é uma honra enorme. Gosto de tudo na cidade: o clima, as pessoas… É bem parecida com o Brasil, e isso ajuda muito. Tem até praia…

A torcida do Barcelona é parecida com a do Santos? Dá para andar pela rua sem problemas?
É calorosa também, fanática, como no Santos. Mas posso andar pela rua tranquilo. Algumas pessoas me reconhecem, mas isso é normal.

Quando você disputou a final da Copa das Confederações da FIFA, sua ida para o Barcelona já era oficial. Como foi enfrentar seus futuros companheiros de clube naquela situação? Você se sentiu observado?

(Risos) Sim, foi diferente jogar uma final contra os meus futuros companheiros naquele momento. Hoje até já falamos sobre tudo aquilo. Foi uma felicidade enorme ganhar a Copa das Confederações.

Podemos saber o que vocês falam sobre aquele jogo?

Brincamos, mas são brincadeiras que ficam entre nós.

Acha que eles vão querer vingança em junho? Vocês poderiam se cruzar nas oitavas de final…
Não, se vingar não. Todas as seleções vão para o Brasil para ser campeãs. Vai ser uma Copa do Mundo muito disputada.

Todo mundo está se preparando muito bem, mas acho que o Brasil tem ótimas chances de chegar à final e ser campeão. Estamos trabalhando para isso, treinando para poder conquistar esse sonho.

Naquele jogo com a Espanha, o clima no Maracanã e o hino cantado por toda a torcida foram impressionantes. Como aquilo foi sentido dentro do campo?

Foi um momento fantástico, e tenho a certeza de que na Copa do Mundo vai ter muitos momentos como aquele. Vai ser muito mais emocionante do que foi na Copa das Confederações.

O que mudou na Seleção com a chegada do Felipão?
Não sei o que mudou. Acho que a equipe criou uma identidade própria. Precisávamos de tempo para treinar e nos conhecer melhor, para que o nosso jogo fluísse. Tivemos isso na Copa das Confederações e tudo deu certo. A união que existia no grupo, tanto dentro quanto fora de campo, foi incrível e isso nos motivou ainda mais a nos esforçar uns pelos outros. Isso nos ajudou a ganhar o título.

Quais são as principais virtudes do Felipão como técnico?
É um treinador como nós, uma pessoa normal. Faz brincadeiras, mas é firme quando tem que ser firme. É um homem trabalhador, que gosta de ganhar sempre, e é uma grande pessoa.

Essas são as suas principais virtudes. Com isso, ele conseguiu ganhar o grupo.

Já parece real pensar que em quatro meses todos estarão treinando para jogar a Copa do Mundo?

Parece que falta muito tempo, mas não é bem assim. Já chegou, a Copa está aí. E ainda por cima é em nosso país.

 É um orgulho enorme. Estou ansioso. Espero poder lidar com essa ansiedade. Vai ser uma grande Copa e tomara que principalmente para nós.

O que significa para você jogar a sua primeira Copa do Mundo, e ainda por cima em casa?
É uma oportunidade única, sabemos muito bem disso. E, além disso, estamos muito felizes de que outras pessoas possam vir e conhecer a nossa cultura e o nosso país. Sei que o Brasil abrirá as suas portas ao mundo inteiro.

Você acompanhou o sorteio?

Vi, sim. Estava concentrado com o Barcelona. Pegamos um grupo forte, com grandes seleções, mas esperamos fazer uma ótima campanha. Quem são os nossos principais adversários?

Hoje em dia o futebol está muito equilibrado, e você precisa se cuidar contra qualquer seleção. Todas são fortes, e por isso é preciso se prevenir para não ser surpreendido.

Você sempre disse maravilhas sobre o Lionel Messi, mas agora vai ser adversário direto na busca deste sonho…
(Risos) Sim, eu até falei com ele de uma possível final entre Brasil e Argentina. Mas com o Brasil sendo campeão, é lógico. Sempre torci por ele e, agora que o conheço, ainda mais. Tenho a sorte de estar perto dele todos os dias e quero que ele se saia bem em tudo.

Ele o surpreendeu em alguma coisa quando passou a ser seu companheiro?
Ele me surpreendeu muito! Inclusive como jogador. Não sabia que era tão bom quanto quando eu o via pela TV.

A torcida brasileira tem grandes expectativas em relação ao seu futebol. Que mensagem você mandaria para ela antes da Copa do Mundo?

Que ela tenha a certeza de que vai contar com 23 guerreiros lutando pela Seleção em busca do sonho de todos, não só dos jogadores. Espero que ela nos motive até o fim. Vamos nos esforçar por ela também.

Para terminar, queríamos que você completasse a seguinte frase: “Em 2014, Neymar será…”
… (Pensa e ri) Campeão da Copa do Mundo!
Veja vídeo no Youtube:CLIQUE AQUI

 fonte:Fifa.com

Deixe uma resposta