Brasileiro do snowboard estreia em Sochi nesta sexta (14)

André Cintra representará o País no snowboard paraolímpico. Trajeto será nas montanhas do Alpine Center, localizado em Rosa Khuto

André foi o primeiro atleta brasileiro a conseguir se classificar para os Jogos Paralímpicos de Sochi
André foi o primeiro atleta brasileiro a conseguir se classificar para os Jogos Paralímpicos de Sochi

O paulistano André Cintra, 34 anos, estreia nesta sexta-feira (14), às 10h, (3h no Brasil) nos Jogos Paralímpicos de Inverno de  Sochi.  André competirá no snowboard, nas montanhas do Alpine Center, localizado em Rosa Khutor, distrito de Sochi.

André Cintra


André Cintra

 O outro brasileiro na Rússia, Fernando Aranha, já disputou, até agora, duas provas no esqui cross-country: 15km e 1km. No domingo, (16), Aranha volta à pista para a competição dos 10km. Esta é a primeira participação do País em uma edição de Jogos de Inverno.

Fernando Aranha
Fernando Aranha

André foi o primeiro atleta brasileiro a conseguir se classificar para os Jogos Paraolímpicos de Sochi. Em abril de 2013, ele chegou à 18ª posição no ranking que garantiu 32 snowboarders na competição da Rússia.

Quase um ano após a classificação, ele irá, finalmente, competir nesta sexta-feira. “Estar aqui, em Sochi, é uma grande vitória do time brasileiro. Construímos um caminho juntos, eu, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e a Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN)”, comenta.

O snowboard estreará nos jogos como parte da programação do esqui alpino. Na prova, cada atleta faz três descidas, sozinho, pelo trajeto. Os dois melhores tempos de cada competidor são somados e, assim, a ordem final é estabelecida.

 A disputa ocorre em um percurso construído com uma variedade de características, como curvas e lombadas, por exemplo.

Como ainda é uma modalidade nova no programa, os organizadores estão testando um formato ideal. Em Sochi, haverá apenas uma prova para os amputados de membros inferiores.

 As duas classes (AK – above knee/acima do joelho e BK-below knee/abaixo do joelho) competirão juntas.

“Por esse motivo, é difícil ficar entre os primeiros. Para mim, que sou AK, é mais complicado praticar snowboard do que para um atleta BK, que tem as articulações do joelho”, justifica Cintra. “Portanto, meu objetivo principal em Sochi é me superar, melhorar meu tempo.”

André teve a perna direita amputada acima do joelho após um acidente de moto, quando tinha 18 anos. Apesar de praticar muitos esportes, o primeiro contato com o snowboard foi há quatro anos.

 Para se adaptar à modalidade, comprou uma prótese especial e, a partir de 2009, começou a competir.

 “Tenho várias próteses, uma para cada tipo de esporte (corrida, kitesurf, wakeboard e snowboard), e uma para andar”, conta André. “A de snowboard não dobra completamente. Ela apenas dobra um pouquinho quando boto peso, mas depois, por causa de um amortecedor, ela levanta meu corpo de volta”, explica.

Na abertura oficial dos Jogos, no dia 7, o brasileiro foi escolhido para ser o porta-bandeira do Brasil no desfile das delegações. “Foi uma das maiores emoções da minha vida carregar a bandeira do Brasil e representar o meu País, 15 mil km de distância. Fiquei muito emocionado. Meu corpo ficou diferente, tremendo”, contou.

Além do snowboard, cinco provas do esqui alpino estão no programa dos Jogos de Sochi: Downhill, Super-G, Super Combined, Giant Slalom e Slalom. Os Jogos serão disputados até 16 de março, por  575 atletas.

Eles vão competir em 72 eventos, de cinco esportes: esqui alpino, biatlo, esqui cross-country, hóquei sobre trenó e curling em cadeira de rodas.
fonte:Portal Brasil

Antonio Bento
Analista de Redes de Computadores , Pos-Graduado em Segurança de Redes de Computadores , Pos-Graduado Tecnologias Para Aplicações Web. Trabalha deste 2008 com Aplicações web em desenvolvimentos nas linguagem (php, Python, Ruby Rais) Conhecimento Avançando em banco sql Nosql.
http://stice.info

Deixe uma resposta