“Caso Assisinho” Ceará é absolvido no TJDF-CE

O Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol (TJDF-CE) absolveu o Ceará Sporting Club pela suposta escalação irregular do atacante Assisinho na partida contra o Barbalha, pela Taça dos Campeões, e contra o Guarany de Sobral, na estreia do time no Campeonato Cearense de 2014.

 O alvinegro foi absolvido por 4 votos a 1.

Após a longa leitura do processo, defesa do Ceará e argumentação por parte da acusação (capitaneada por Fortaleza e Guarany de Sobral), os auditores começaram a votação.

 O placar final foi de 4×1. O procurador do caso, Carlos Alberto, pediu a absolvição.

 Apenas o presidente da 2ª comissão disciplinar do TJDF-CE, Jorge Henrique Parente, pediu e votou pela condenação do Ceará.

Caso fosse punido, o Ceará poderia perder até 17 pontos, como pleiteou o setor jurídico do Fortaleza.

A decisão da 2ª comissão do TJDF-CE cabe recurso.

ENTENDA O CASO

No Estadual de 2013, em partida realizada no dia 12 de maio, o atacante Assisinho foi expulso. Ainda jogador do Fortaleza, ele não atuou mais na competição, pois o time foi eliminado nas semifinais.

Adicionar legenda

 Segundo apontou o Fortaleza, em fevereiro, o jogador precisaria ter cumprido a suspensão no primeiro jogo do Cearense de 2014.

Em defesa, o Ceará se sustentou, desde o início da questão, no regulamento da competição.

 O documento da FCF diz que “o atleta expulso de campo ficará automaticamente impedido de participar de partida subsequente do mesmo campeonato ou torneio, de acordo com as normas vigentes”.

 Além disso, o departamento jurídico alvinegro alegou que o jogador havia convertido a punição em pagamento de cesta básica.

O Leão alega que a medida social não anula a necessidade de cumprir suspensão.

Quanto ao regulamento da competição, o Fortaleza interpreta que a mesma competição trata-se do Campeonato Cearense, independente da edição.

                                                      RECURSO

O Fortaleza, autor da ação contra o Ceará, garantiu irá recorrer no pleno e, caso não consiga uma resolução a seu favor, recorrerá ao Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).
fonte:CNews

Deixe uma resposta