O tricampeonato vai para os Estados Unidos

 

A Alemanha chegava à final como favorita e com vantagem psicológica pela larga vitória obtida sobre os Estados Unidos na primeira fase. Mas contra um rival de tamanha tradição, nada disso acabou entrando em campo. Neste sábado, no Estádio Nacional de Tóquio, as norte-americanas mostraram por que são uma potência da categoria, venceram as campeãs de 2010 por 1 a 0 e chegaram ao tricampeonato da Copa do Mundo Feminina Sub-20 da FIFA, repetindo as campanhas de 2002 e 2008.


O título chega a ser até surpreendente após o início irregular na competição. Isso porque o percurso norte-americano registrou um empate e uma derrota por 3 a 0 para estas mesmas alemãs ainda na fase de grupos. No entanto, depois de uma classificação suada, apenas no saldo de gols, a história mudou.
 
 
 
Com raça e enorme organização, a equipe de Steve Swanson despachou a Coreia do Norte, a Nigéria e, na final, derrubou seu maior rival. Para as alemãs, que desabaram em campo após o apito final, a derrota foi extremamente frustrante. Afinal, as comandadas de Maren Meinert chegaram à decisão com uma série de 12 vitórias, sendo seis sem tomar gols. No único que levou, veio a derrota.

Duelo parelho
Assim como em outras partidas do torneio, a Alemanha tomou a iniciativa da partida e foi com tudo para o ataque. A diferença é que pela frente ela se deparava com uma equipe norte-americana bem mais sólida do que no primeiro duelo. Mesmo com maior posse de bola, as europeias pouco criaram até os 36 minutos, quando Melanie Leupolz arriscou o primeiro bom chute de da área. Do outro lado, os Estados Unidos faziam um jogo inteligente, com saídas precisas para o ataque e alguns escanteios perigosos, sempre cobrados por Vanessa Di Bernardo.

Em um jogo bem parelho, a diferença foi feita, então, na parte individual – e beneficiou as norte-americanas: em grande jogada pela direita, a lateral Crystal Dunn driblou a marcadora, invadiu a área e cruzou rasteiro para o meio, para Kealia Ohai completar para as redes. O primeiro gol da atacante no torneio foi também o primeiro sofrido pela Alemanha na competição – e a equipe pareceu sentir o golpe.

Na volta ara o intervalo, os EUA cresceram ainda mais e esbanjaram calma para segurar as cada vez mais ansiosas alemãs. Poucas eram as jogadas que davam certo para as atuais campeãs, que passaram a depender de cruzamentos e chutes de longa distância. Em um deles, já aos 26 minutos, Leonie Maier acertou o travessão, no primeiro grande susto para a defesa norte-americana.

No fim, porém, as europeias foram com tudo para cima e tiveram várias chances, novamente com Maier, Jennifer Cramer e Lina Magull. Nada foi suficiente. Os Estados Unidos garantiram a revanche e uma merecida vitória, mostrando que o futuro do futebol do país está bem encaminhado.
Fonte; FIFA.com
(Photo by Martin Rose – FIFA/FIFA via Getty Images)

Antonio Bento
Analista de Redes de Computadores , Pos-Graduado em Segurança de Redes de Computadores , Pos-Graduado Tecnologias Para Aplicações Web. Trabalha deste 2008 com Aplicações web em desenvolvimentos nas linguagem (php, Python, Ruby Rais) Conhecimento Avançando em banco sql Nosql.
http://stice.info

Deixe uma resposta