Palavra de Guerrero:” Dedico o título ao povo peruano”

O peruano Paolo Guerrero deve ser, de longe, o futebolista mais feliz do momento. Pelo menos é o que ele demonstra. Ainda não totalmente recuperado de uma lesão no joelho que quase o deixou de fora da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, o goleador do Corinthians exibia, após a partida deste domingo contra o Chelsea, um sorriso de orelha a orelha a todos que cruzavam o seu caminho.
E não faltam motivos para isso: afinal, ele acabara de marcar o gol que deu ao Timão o segundo título mundial da sua história. Ao pegar o rebote de Petr Cech e cabecear para o fundo das redes, ele devolveu a supremacia ao futebol sul-americano após seis anos. Em meio à festa – e após receber a Bola de Bronze adidas da competição – ele conversou em Yokohama com o FIFA.com sobre a grande fase, o gol decisivo e a dedicatória ao povo peruano.
FIFA.com: Paolo, parabéns. Já caiu a ficha de que você é campeão do mundo?
Paolo Guerrero: Está caindo, já estou muito contente e feliz. Trabalhamos muito para ganhar este título, nos esforçamos e nos sacrificamos muito. Agora chega o momento de festejar e celebrar, é só disso que precisamos.
Vamos falar do gol. Consegue se lembrar em meio a tantas emoções?
Agora não me lembro bem da jogada toda, é verdade. Acho que veio da esquerda, o Danilo dominou e tentou finalizar, mas foi bloqueado, não é? O que lembro é que a bola ficou suspensa no ar bem na minha frente. Bem ali, só precisei empurrá-la.
É possível pensar em alguma coisa em um momento como esse ou dá um branco?
É nesse momento que é preciso estar com a cabeça fria, não sobra quase mais nada para pensar. É preciso acertar esteja onde e como estiver. Acho que até tocou no travessão antes de entrar, não sei bem… É necessário ter a cabeça fria e tomar a decisão certa em uma questão de segundos. Não tinha outra opção a não ser dar uma cabeçada, e ainda bem que entrou.
Antes da final, disseram que o Corinthians era uma equipe defensiva. Vocês escutaram declarações desse tipo? Serviu de motivação?
Só posso falar por mim, e a verdade é que não escutei nada disso. Também acho que todos os técnicos têm as suas particularidades, suas maneiras preferidas de definir as equipes e tudo mais. Quer tenhamos sido defensivos ou não, conseguimos o título. E isso é o que conta.
Fazia seis anos que o futebol sul-americano não conquistava este título. Sabia disso?
É claro! O Tite vinha falando muito disso quando conversava com o time. Sem dúvidas, foi uma motivação extra. Estamos felizes e orgulhosos de levar este título para a América do Sul. Deveriam ter visto o vestiário: todos contentes, felizes e comemorando com os troféus. Eu ganhei um também (Bola de Bronze), o que me deixa ainda mais feliz.
E pensar que o joelho quase o deixa de fora da disputa…
Posso dizer agora, tive muito medo quando me contundi. Graças a Deus pude me recuperar a tempo e chegar em boas condições nas duas partidas. Não queria perdê-las por nada no mundo.
Como está o joelho agora? Vimos que saiu mancando de campo…
Está um pouco dolorido, mas não me importo! Conseguir um título como este não tem preço. Não importa a lesão que seja, aconteça o que acontecer, valeu a pena. Para mim o mais importante é que somos campeões do mundo. O resto veremos depois.
Para concluir: você foi visto comemorando com a bandeira do Peru. Imagina como foi a celebração por lá?
Peru, o meu país… Ele é muito importante para mim e está sempre comigo. Dedico este título a eles também, a todos os peruano  
Fonte: FIFA.com
Antonio Bento
Analista de Redes de Computadores , Pos-Graduado em Segurança de Redes de Computadores , Pos-Graduado Tecnologias Para Aplicações Web. Trabalha deste 2008 com Aplicações web em desenvolvimentos nas linguagem (php, Python, Ruby Rais) Conhecimento Avançando em banco sql Nosql.
http://stice.info

Deixe uma resposta