SUB-17: Alemanha leva susto, mas bate a Inglaterra

Depois da vitória sobre a Inglaterra nesta segunda-feira, o ataque da Alemanha ainda está isolado na artilharia do torneio, com 18 gols marcados em cinco jogos. A defesa também ainda é a melhor da competição, mas agora ao lado da uruguaia, com três gols sofridos. O problema é que dois deles saíram em um intervalo de 16 minutos, complicado um triunfo que até então estava fácil, para um placar final de 3 a 2 em Morelia, em resultado que definiu o terceiro semifinalista Copa do Mundo Sub-17 da FIFA México 2011.

Primeiro tempo
A Inglaterra controlava as ações da partida em seus minutos iniciais, apostando no talento de Rasheem Sterling, que criava problemas em suas descidas pela ponta esquerda, na qual trabalhava com o pé contrário, surpreendendo seus adversários.Do outro lado, porém, a Alemanha mostrou que seus números no torneio não são à toa, ao descer para o ataque com tudo aos sete minutos, abrindo o placar. Mitchell Weiser pensou rápido no meio-campo e se antecipou a uma dividida já fazendo um lançamento para a frente. Ele encontrou Samed Yesil, que ganhou na corrida de Robin Yalcin e avançou para a área. Logo à entrada, porém, o goleiro Jordan Pickford se lançou com tudo em direção à bola e interceptou a finalização do atacante. O alemão, porém, teve sorte no rebote, conseguiu o domínio e deixou Pickford para trás, tendo o gol limpo à frente para fazer o 1 a 0.
A Inglaterra ainda encontrou brechas na defesa alemã, mas nem assim aproveitou suas chances. Contra um rival mortal como a Mannschaft, qualquer desperdício pode pesar demais. Aos 20 minutos, Yesil voltou a mostrar muita velocidade com a bola, ao receber um passe na entrada da área pela esquerda, dominar de calcanhar já girando o seu corpo para bater com o pé direito, acertando a trave no canto direito. Aos 24 minutos, porém, virai o segundo gol: após cobrança de escanteio, Marvin Ducksch pegou o rebote fora da área e chutou rasteiro. A bola foi em direção a Kaan Ayhan, que a desviou no reflexo para superar a defesa rival.

Segundo tempo
Se não bastasse contar com uma bela promessa na grande área com Yesil, os alemães também têm o luxo de se defenderem com um ótimo goleiro, Odisseas Vlachomodimos, que fez uma ótima defesa aos 52 minutos para impedir um golaço de puxeta de Nathaniel Chalobah.Embalado pelo gol evitado, a Alemanha partiu no contra-ataque e fez o 3 a 0, em nova combinação entre Weiser e Yesil. O primeiro recebeu um lançamento pela ponta direita, cortou para o centro da área e deu um passe com a parte anterior do pé, abaixo do tornozelo, na pinta para o centroavante anotar seu quinto gol na competição.
Na metade final dessa etapa, a seleção alemã tirou o pé do acelerador e abriu uma porta perigosa a um time da tradição inglesa. Os adversários conseguiram seu primeiro gol aos 67, em cobrança de pênalti de Samuel Magri, depois que Nico Perrey derrubou Nicholas Powell na grande área com um agarrão. Aos 83, veio o segundo. Num lance de displicência, Ducksch tentou sair jogando na lateral esquerda com um passe de calcanhar, que acabou endereçado a Nathan Redmond. O britânico avançou em diagonal e chutou cruzado. Vlachodimos se esticou e fez a defeas, e o rebote foi para o pé de Hallam Hope: 3 a 2. Acreditando no empate, os ingleses marcaram firmes e conseguiam roubar a bola e partir para o abafa. Em duas ocasiões, seus disparos de fora da área passaram muito perto da trave direita alemã. Mas, assim como ocorreu com o Japão na véspera, a reação inglesa ficou um gol aquém.
Fonte: FIFA.com

Antonio Bento
Analista de Redes de Computadores , Pos-Graduado em Segurança de Redes de Computadores , Pos-Graduado Tecnologias Para Aplicações Web. Trabalha deste 2008 com Aplicações web em desenvolvimentos nas linguagem (php, Python, Ruby Rais) Conhecimento Avançando em banco sql Nosql.
http://stice.info

Deixe uma resposta